-mais sobre mim
-ACEITAM-SE ENCOMENDAS
Todas as peças são elaboradas por mim e, caso estejam interessados (as) por alguma, contactem o meu email: paulacalcadaalves@sapo.pt
-Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29


-escrevi sobre...

- História da Decoupage

-SOBRE ESTE BLOG
Neste meu blog, pretendo apresentar as peças que, cuidadosamente e com muito carinho, elaborei. Uma técnica nova para mim, visto não ter quaisquer base: nunca frequentei cursos. Todo este trabalho é feito, sevindo-me de muitas pesquisas na net. Aprendi vendo. Espero que obtenham algum prazer a vê-lo.
-tags

- barro(1)

- caixinha(8)

- enxoval(1)

- estatuto do artesão(1)

- história da decoupage(1)

- imagens(1)

- madeira(1)

- mealheiro(1)

- moldura(2)

- nada de especial(2)

- pintura em tecido(9)

- ponto de cruz(1)

- telas(8)

- vidro(11)

- todas as tags

-no baú

- Abril 2009

- Dezembro 2008

- Agosto 2008

- Julho 2008

- Junho 2008

- Maio 2008

- Abril 2008

- Março 2008

-As minhas Criações
-pesquisar
 
-links
blogs SAPO
-subscrever feeds

Quarta-feira, 12 de Março de 2008
História da Decoupage

Da Decoupage a Arte francês

 

Decoupage palavra de origem francesa “découpage” derivada do verbo “decouper” que significa “para cortar” é usado para revestir desde de pequenas caixas a grandes peças do mobiliário. Basicamente a decoupage consiste na escolha das gravuras, o recorte, a colagem e por fim o acabamento, para dar a sensação de que a imagem foi pintada na peça. A beleza da técnica é que ninguém consegue repetir, mesmo usando a mais simples das gravuras. Para muitas pessoas o melhor aspecto da Decoupage é a oportunidade de produzir uma peça original com papel impresso e colado que parece ter sido pintado. Um dos melhores elogios a esta técnica é a exclamação:
“ Eu pensei que isto era pintado!”

Uma breve historia...
A decoupage foi muito popular na Europa entre o século 17 e 18.
Com a abertura das rotas comerciais para China no século 17, muitas peças de porcelana vieram para Europa. Em 1682 Luiz XIV foi presenteado pelo embaixador do Sião com um jogo de jantar. Isto nunca havia sido visto e logo caiu na moda. Os fornecedores de móveis começaram logo a fazer imitação dos desenhos laqueados com figuras asiáticas, que ficaram conhecidos como “chinoiserie”. Artistas famosos tinham seus desenhos ou esboços aplicados em painéis.
Na Inglaterra a técnica era conhecida como japonesa.
Em 1762 Robert Sayer publicou um livro com 1500 desenhos para decoupage.
As ladis da corte tinham como nova paixão a decoupage e logo todas estavam recortando e colando qualquer coisa que lhes chegassem às mãos.
Haviam livros e catálogos sobre o assunto.
Em 1772 Mary Delany inventou uma nova técnica onde utilizava flores naturais para decoupage. Quando iniciou este hobby Mary Delani já estava com 72 anos e num período de 10 anos ela realizou em torno de 1000 trabalhos que chamava de “Mosaico de papel”.
Na França Maria Antonieta e sua corte também aderiram à moda e faziam decoupage com imagens de artistas famosos como Boucher e Fragonard. Nas obras de decoupage feitas por Maria Antonieta em 1780 encontrava-se a seguinte frase: “ Découpure faite par la Reine” ou “Decoupage by the Queen”.
No século 18 as pinturas de sala foram os novos caminhos para a decoupage. Foram achados com freqüência em grandes salas de casas inglesas. As vezes cobriam paredes inteiras ou apenas parte delas.
No início do século 19 a paixão pelas colagens foi declinando. Reapareceu novamente na época Vitoriana.
O sucesso e o retorno desta tradicional forma de artesanato talvez se devam a facilidade na sua execução e na aplicação em diversos suportes, tendo com isto a possibilidade de modificar e decorar pequenas peças, móveis e até mesmo paredes.
Como o experimento sempre fez parte da vida do homem seguem os avanços e o novo aparece. Continuando pelo caminho da decoupage nasce nos EU em 1963 a “Arte francês” pela mão de Patrícia Nimochs que usava de 2 a 3 lâminas sobrepondo os recortes para causar efeito de relevo. O nome “Arte Francês” deriva do seu trabalho que era feito com imagens típicas de pequeninas ruas francesas.
A Arte francês é uma técnica decorativa que consiste em transformar uma imagem plana em outra com relevo e profundidade. Com o aperfeiçoamento da técnica para valoriza-la ainda mais, são usadas de 3 a 8 lâminas em média . As lâminas vão sendo recortadas, trabalhadas e fixadas por etapas, no suporte escolhido. A colocação é feita de maneira ordenada e cuidadosa.. Com esta técnica o trabalho ganha volume e profundidade tendo como resultado final uma peça belíssima.
A escolha de uma lâmina com bom gosto, aliada a certa habilidade e a execução da técnica com capricho e dedicação, garante o sucesso de um trabalho impecável que vem fazendo muitos adeptos aqui na América latina.


Texto da artista Sandra Bandeira



publicado por paulacalcadaalves às 15:17
link do post | deixa o teu comentário | ver comentários (7) | favorito

-RELATIVAMENTE ÀS PEÇAS PINTADAS À MÃO
Relativamente a este aspecto, informo que, apesar de pintar peças para mim, também pinto para fora. É uma questão de interesse de cada um. Por ex. pelas t-shirts levo 5 euros. ATENÇÃO: OS PREÇOS VARIAM CONFORME O TAMANHO DO RISCO PARA PINTAR, MAS A BASE É ESTA.
-Os meus riscos: retirados da net, é claro. Se os quiserem cliquem no meu slide